Missosology sai em defesa do Miss Terra: "O concurso continua relevante"

O site Missosology, reconhecido como um dos mais importantes do Mundo Miss, publicou recentemente um artigo em defesa do concurso Miss Terra. Nos últimos ano o certame, que tem sua sede nas Filipinas, assim como o site, tem enfrentado muitas críticas e perdido fãs.
Um dos motivos seria o favorecimento das misses filipinas, pois só nesta década o país venceu três vezes (2014, 2015 e 2017), além de acusações de péssimo tratamento às candidatas durante o longo confinamento de 30 dias, preconceito em relação a altura de algumas misses e negocição de resultados.
Eu fiz um resumo do artigo para compartilhar com vocês e vou deixar o link do texto na integra no final da postagem.



Segue os pontos que o site ressaltou como positivos:

1. A defesa de uma causa relevante

Enquanto assistem aos concursos as pessoas geralmente se concentram apenas nas lindas mulheres, seus corpos, seus vestidos e o grandioso palco da noite final. Mas e sobre a defesa da causa do concurso? O Miss Terra surgiu em 2001 com um objetivo: promover a consciência ambiental. Isso concretiza por meio das viagens da Miss Terra e de cada um dos projetos ecológicos do concurso nas Filipinas.

2. O conceito do concurso

O concurso usa os 4 elementos vitais (Terra, Ar, Água e Fogo) ​​como títulos para sua vencedora e finalistas. É o único concurso que usa títulos elementares distintos para cada finalista.
Em consonância com a “consciência ambiental”, é o único concurso que constantemente faz perguntas na etapa "questão final" sobre conscientização e preservação ambiental. Esta é uma maneira eficaz de divulgar sua causa à medida que a final é transmitida para todo o mundo.


Miss Terra 2012 - Teresa Fajksová em atividade ambiental

3. Participação de vários países

O Miss Terra em seu início tinha apenas 42 países participantes. Mas em um período de 4 anos  alcançou a marca das 80 nações participantes. Em 2005, já contava com 80 participantes, o que o aproxima da quantidade de países que participam do Miss Universo, e suplanta o Miss International. Muitas concursos em nível nacional passaram a ser realizados como franquia do Miss Terra.

4. Status de Big5*

 Apesar de ser um concurso jovem em comparação com outros grandes certames internacionais, o Miss Terra tem vários países participantes, o que tornou um concurso com grande abrangência, um dos fatores que o torna um integrante do Big5.
Quando comparado a outros concursos internacionais que são 40 ou 50 anos mais velhos, o Miss Terra conseguiu muito já em um período de 18 anos, e certamente tem mais a oferecer nas próximas décadas. Então, quer você goste ou não, o Miss Terra ainda é um dos 5 maiores concursos internacionais do mundo.

5. Parceria com organizações ambientais

Em parceria com o PNUMA e a WWF. entre outras organizações ambientais, 
a Fundação Miss Terra foi criada para servir como extensão do concurso de beleza Miss Terra. Isso faz com que os objetivos e projetos do concurso sejam alcançáveis ​​e possíveis. Sua principal campanha é educar jovens em relação à conscientização ambiental.
Hoje a Fundação Miss Terra tem trabalhado com várias organizações em todo o mundo, incluindo o Programa Ambiental da ONU, Liter of Light e o Greenpeace.

Opinião do blog

Na década passado o Miss Terra era meu segundo concurso internacional favorito. Seu formato e atividades me conquistavam a cada edição e sempre achei interessante a pluralidade geográfica na seleção das semifinalistas. É lógico que o excelente desempenho do Brasil, com a conquista dos títulos de 2004 e de 2009, mais as classificações sucessivas,  fazia com que eu gostasse cada vez mais do concurso. 

Priscilla Meirelles - Miss Terra 2004

Larissa Ramos - Miss Terra 2009

Já na década atual o concurso parece sem rumo, com a substituição da maioria das franquias nacionais em países com histórico positivo no certame, inclusive no Brasil, e com prestígio abalado devido às acusações pontuadas no início do texto. A vitória de três filipinas num espaço de quatro anos (eu concordo somente com o resultado de 2015) dá munição aos seus detratores, que não são poucos e estão sempre atentos.

Angelia Ong - Miss Terra 2015

Eu considero 2018 o ano definitivo para o Miss Terra mudar a sua imagem e manter-se relevante e popular para os fãs dos concursos. O certame deste ano não pode ser menos que incrível, senão, mesmo com o apoio do Missosology, será possível  manter-se relevante para o Mundo Miss.

*O BIG5 é o termo criado para o grupo de elite dos concursos internacionais definido pelo site. É formado pelo Miss Universo, Miss Mundo, Miss International, Miss Terra e Miss Supranational.

Link para o artigo

http://missosology.org/miss-earth/49777-why-the-miss-earth-pageant-remains-relevant/

Comentários

Postagens recentes