Pular para o conteúdo principal

As frustrações do Brasil no Miss Universo segundo o Missosology

O site Missosology, um dos mais importantes do Mundo Miss, publicou um artigo para justificar as "frustrações" do Brasil no Miss Universo.
Há tempos eu aguardava esse artigo, pois o site colocou Raissa Santana -Miss Brasil 2016 - em 1º lugar no seu Hot Picks Final para o Miss Universo 2016 e até o presente não havia se manifestado sobre a sua "bola fora".
Segue o artigo numa tradução livre e no final o link para o texto original.

"Desde que Natália Guimarães foi a primeira sucessora de Riyo Mori, em 2007, o Brasil foi assolado por frustrações no Miss Universo. Os brasileiros acreditavam que o espetacular desempenho de Natália no México seria seguido por classificações nos tops. Em vez disso, o que aconteceu foram três anos sem classificação.
Como em toda a América Latina, o Brasil ama Miss Universo mais que os outros concursos do Big 5. Em 2011, a cidade de São Paulo sediou o concurso e foi o ano em que o país voltou a se classificar. Priscila Machado, com muitos detratores locais, superou as expectativas e conquistou o 3º lugar. Desde então, o Brasil vem se classificando.
O sucesso do país se manteve com uma sequência de três anos no Top 5, que começou com Priscila e terminou com Jakelyne Oliveira em 2013. Isto não é, naturalmente, suficiente para o Brasil. A última vez que o país ganhou foi 1968 e isso é muito injusto para um grande país com tantas representantes surpreendentes.
Um dos fatores-chave que diminuem as chances do Brasil é excesso de confiança nos atributos físicos de suas representantes. Consideremos o caso da belíssima Marthina Brandt em 2015: ela é de fato uma candidata perfeita com sua beleza de top model. Seu problema é que ela não tem que o que chamamos de fator-x. Ela tinha um corpo curvilíneo de alto nível, mas careceu de brilho e confiança durante o desfile de biquíni.
E finalmente quando o Miss Universo decidiu por valorizar candidatas com confiança, o Brasil ainda não conseguiu chegar mais perto da coroa. Raissa Santana era uma candidata de primeira linha com uma história de vida convincente. Ela foi a primeira representante negra do Brasil no Miss Universo de 1986 até o presente, e a segunda mulher negra a conquistar o título nacional.
A frustração do Brasil na última edição do Miss Universo foi muito grande, pois de fato não era prevista a parada de Raissa no top 13. Para piorar, um dos juízes, Mickey Boardman, disse ao vivo que amava a confiança da brasileira durante o desfile de biquíni. Então por que Mickey colocou Raissa no topo, enquanto os outros cinco juízes desistiram dela?
Como o Miss Universo caminha para um território desconhecido, o Brasil pode ter dificuldade na busca de uma fórmula adequada.

O Brasil deve enfrentar mais frustrações nos próximos anos e a esperança para uma terceira coroa pode estar mais distante do que nunca."

Eu concordo com o artigo acima e acredito que se mudanças não acontecerem imediatamente a previsão do site sobre o sucesso do Brasil no Miss Universo se concretizará.

Deise Nunes - MB 1986 e Raissa Santana - MB 2016


http://missosology.org/miss-universe/featured-article-miss-universe/42737-brazils-miss-universe-frustration/

Comentários

  1. O artigo é pertinente mas não se justifica por si mesmo, ao colocarem Raissa Santana em 1º lugar do Top 5 do Missosology, não levaram em consideração o currículo da Miss Brasil 2016. Raissa por ser negra e mais bonita do a Miss USA pode ter sido o motivo da "furada" do prognóstico. Considero que Raissa não avançou mais por não ter uma performance diferenciada na passarela, além de não dominar o inglês. O "fator X" mencionado seria uma combinação de mais atitude e auto-confiança da miss brasileira nas suas apresentações. Miss França, Iris Mitténaère, soube explorar esses quesitos e levou a coroa para França, depois de longos 63 anos de expectativas. Parabéns Nelson Jr.!

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Deixe aqui seu comentário. Obrigado!

Top 5 de acessos no mês

Nota de falecimento: Rejane Vieira da Costa (Goulart) - Miss Brasil 1972

Hoje o Mundo Miss está de luto. Infelizmente pela manhã recebi, através do grupo do Voy Miss Brasil On Board no Facebook, a notícia do falecimento da MISS BRASIL 1972 - Rejane Vieira (Goulart era seu sobrenome artístico). Confesso que relutei em acreditar que uma das minhas misses  Brasil preferidas tinha partido tão cedo (59 anos) e resolvi esperar uma confirmação oficial para então escrever um post, que veio pelo site oficial do MISS BRASIL. O motivo do falecimento foi um AVC (Acidente Vascular Cerebral) ocorrido durante o período de recuperação de uma cirurgia feita em decorrência de uma trombose. Rejane Vieira era uma unanimidade no Mundo Miss no Brasil, uma das misses mais queridas pela sua impactante beleza e simpatia com os fãs. No MISS UNIVERSO 1972 ela conquistou o 2° lugar, e não vou afirmar que foi injusto pois a australiana Kerry Wells também era uma lindíssima.  A gaúcha  atuou como atriz e participou de algumas novelas de sucesso como Ti Ti Ti (1985), Man

Kátia Nascimento Guimarães - Miss Brasil Beleza Internacional 1985

Kátia Nascimento Guimarães foi a sexta paulista a conquistar o título de Miss Brasil Beleza Internacional em 1985. Ela foi a primeira da "era ilha Porchart" concurso popular na época realizado na ilha homônima da cidade de São Vicente, litoral paulista. Kátia Nascimento Guimarães (ao centro) - MBI 1985 No concurso Miss International 1985, a linda paulista foi top 15. 

Fernanda Bôscolo - Miss Brasil Beleza Internacional 1980

 O 2º lugar no Miss Brasil 1980 deu a oportunidade da lindíssima paulista Fernanda Bôscolo de ser a Miss Brasil Beleza Internacional 1980. Fernanda Bôscolo no MB 1980 (divulgação) O concurso foi realizado no dia 04 de novembro em Tóquio, no Japão. Apesar de  ter uma beleza impactante, a paulista não foi classificada entre as três finalistas, numa edição muito estranha, que sequer teve chamada para semifinalistas. Biografia* Apesar de nascida na capital, Fernanda mudou-se para Santos aos 6 anos de idade, e o primeiro concurso que disputou foi aos 6 anos, o Mini Miss São Paulo, no programa de TV "Almoço com as Estrelas", competindo com mais de 500 crianças. Em 1980, antes de completar 18 anos de idade, e já morando em Santos, foi eleita Rainha das Praias Brasileiras, no Ilha Porchat Clube, e ganhou o direito de representar o país no Miss Tanga Internacional, realizado em Caracas, Venezuela. Mais de quarenta garotas ambicionavam o título, que acabou ficando em suas mãos, tendo s

Júlia Gama é a Miss Brasil 2020

O suspense acabou! Depois de semanas de especulações, o Mundo Miss brasileiro conheceu há pouco, numa transmissão pelo canal da organização U Miss Brasil no Youtube, a representante do país na próxima edição do Miss Universo. A gaúcha Júlia Gama teve seu nome ventilado há algumas semanas como possível indicada, mas por ser a Miss Brasil Mundo 2014, muito descartaram essa possibilidade. Ela se torna ao lado de Adriana Alves de Oliveira, as únicas brasileiras a representarem o Brasil no Miss Universo e no Miss Mundo. Júlia Gama - Miss Brasil 2020 Eu fiquei muito feliz com a indicação, pois ela é linda, inteligente e fala fluentemente espanhol, inglês e mandarim. Sua oratória é perfeita e acredito que isso contará muito ao seu favor no Miss Universo. Parabéns para Júlia Gama pela conquista e a organização pela indicação.  

Programas do Miss Universo - década de 1980

 Os programas do concurso Miss Universo na década de 1980 destacam as paisagens e elementos culturais da cidade/país anfitrião. 1980 1981 1982 As capas, diferentemente da década anterior, mostram monumentos históricos, edifícios, paisagens naturais e aspectos culturais.  1983 1984 1985 São capas bonitas, mas pecam por não trazer a Miss Universo reinante (somente nas edições de 1985 e 1986 elas aparecem), algo que se manteve dos anos 1970. 1986 1987 A minha preferida é a de 1987, que traz crianças de Cingapura (país anfitrião). Ela seria perfeita se também trouxesse a Miss Universo 1986 - Bárbara Palácios. 1988 1989 Disponível em:  http://www.pageantopolis.com/1980-1989-4.html