Pular para o conteúdo principal

As frustrações do Brasil no Miss Universo segundo o Missosology

O site Missosology, um dos mais importantes do Mundo Miss, publicou um artigo para justificar as "frustrações" do Brasil no Miss Universo.
Há tempos eu aguardava esse artigo, pois o site colocou Raissa Santana -Miss Brasil 2016 - em 1º lugar no seu Hot Picks Final para o Miss Universo 2016 e até o presente não havia se manifestado sobre a sua "bola fora".
Segue o artigo numa tradução livre e no final o link para o texto original.

"Desde que Natália Guimarães foi a primeira sucessora de Riyo Mori, em 2007, o Brasil foi assolado por frustrações no Miss Universo. Os brasileiros acreditavam que o espetacular desempenho de Natália no México seria seguido por classificações nos tops. Em vez disso, o que aconteceu foram três anos sem classificação.
Como em toda a América Latina, o Brasil ama Miss Universo mais que os outros concursos do Big 5. Em 2011, a cidade de São Paulo sediou o concurso e foi o ano em que o país voltou a se classificar. Priscila Machado, com muitos detratores locais, superou as expectativas e conquistou o 3º lugar. Desde então, o Brasil vem se classificando.
O sucesso do país se manteve com uma sequência de três anos no Top 5, que começou com Priscila e terminou com Jakelyne Oliveira em 2013. Isto não é, naturalmente, suficiente para o Brasil. A última vez que o país ganhou foi 1968 e isso é muito injusto para um grande país com tantas representantes surpreendentes.
Um dos fatores-chave que diminuem as chances do Brasil é excesso de confiança nos atributos físicos de suas representantes. Consideremos o caso da belíssima Marthina Brandt em 2015: ela é de fato uma candidata perfeita com sua beleza de top model. Seu problema é que ela não tem que o que chamamos de fator-x. Ela tinha um corpo curvilíneo de alto nível, mas careceu de brilho e confiança durante o desfile de biquíni.
E finalmente quando o Miss Universo decidiu por valorizar candidatas com confiança, o Brasil ainda não conseguiu chegar mais perto da coroa. Raissa Santana era uma candidata de primeira linha com uma história de vida convincente. Ela foi a primeira representante negra do Brasil no Miss Universo de 1986 até o presente, e a segunda mulher negra a conquistar o título nacional.
A frustração do Brasil na última edição do Miss Universo foi muito grande, pois de fato não era prevista a parada de Raissa no top 13. Para piorar, um dos juízes, Mickey Boardman, disse ao vivo que amava a confiança da brasileira durante o desfile de biquíni. Então por que Mickey colocou Raissa no topo, enquanto os outros cinco juízes desistiram dela?
Como o Miss Universo caminha para um território desconhecido, o Brasil pode ter dificuldade na busca de uma fórmula adequada.

O Brasil deve enfrentar mais frustrações nos próximos anos e a esperança para uma terceira coroa pode estar mais distante do que nunca."

Eu concordo com o artigo acima e acredito que se mudanças não acontecerem imediatamente a previsão do site sobre o sucesso do Brasil no Miss Universo se concretizará.

Deise Nunes - MB 1986 e Raissa Santana - MB 2016


http://missosology.org/miss-universe/featured-article-miss-universe/42737-brazils-miss-universe-frustration/

Comentários

  1. O artigo é pertinente mas não se justifica por si mesmo, ao colocarem Raissa Santana em 1º lugar do Top 5 do Missosology, não levaram em consideração o currículo da Miss Brasil 2016. Raissa por ser negra e mais bonita do a Miss USA pode ter sido o motivo da "furada" do prognóstico. Considero que Raissa não avançou mais por não ter uma performance diferenciada na passarela, além de não dominar o inglês. O "fator X" mencionado seria uma combinação de mais atitude e auto-confiança da miss brasileira nas suas apresentações. Miss França, Iris Mitténaère, soube explorar esses quesitos e levou a coroa para França, depois de longos 63 anos de expectativas. Parabéns Nelson Jr.!

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Deixe aqui seu comentário. Obrigado!

Top 5 de acessos no mês

Nota de falecimento: Rejane Vieira da Costa (Goulart) - Miss Brasil 1972

Hoje o Mundo Miss está de luto. Infelizmente pela manhã recebi, através do grupo do Voy Miss Brasil On Board no Facebook, a notícia do falecimento da MISS BRASIL 1972 - Rejane Vieira (Goulart era seu sobrenome artístico). Confesso que relutei em acreditar que uma das minhas misses  Brasil preferidas tinha partido tão cedo (59 anos) e resolvi esperar uma confirmação oficial para então escrever um post, que veio pelo site oficial do MISS BRASIL. O motivo do falecimento foi um AVC (Acidente Vascular Cerebral) ocorrido durante o período de recuperação de uma cirurgia feita em decorrência de uma trombose. Rejane Vieira era uma unanimidade no Mundo Miss no Brasil, uma das misses mais queridas pela sua impactante beleza e simpatia com os fãs. No MISS UNIVERSO 1972 ela conquistou o 2° lugar, e não vou afirmar que foi injusto pois a australiana Kerry Wells também era uma lindíssima.  A gaúcha  atuou como atriz e participou de algumas novelas de sucesso como Ti Ti Ti (1985), Man

A Miss mais bela do ano de 1961 - Marlene Schmidt

 O ano de 1961 é um dos mais fortes em relação a beleza das vencedoras do Grand-Slam, mas a beleza atemporal da representante da Alemanha no Miss Universo a faz a melhor entre as três. O único título do país no Miss Universo foi conquistado em 15 de julho no Miami Beach Auditorium na popular Miami - Flórida - EUA. Marlene Schmidt - Miss Universo 1961 Biografia*: Schmidt, uma refugiada na Alemanha Ocidental depois de fugir da nativa Alemanha Oriental, loira, de olhos negros, 1, 73 m e 24 anos, era uma engenheira elétrica que trabalhava numa fábrica de rádios por US$54 dólares semanais.  Entrou no concurso estadual de beleza de Baden-Württemberg motivada pelo carro oferecido como prêmio máximo, venceu e além do carro conquistou o direito de representar a região no Miss Alemanha, realizado em Baden-Baden. Marlene venceu o concurso nacional, onde foi considerada uma "figura de Botticelli", e foi para os Estados Unidos representar o país no Miss Universo. Competindo com outras 47

Mexicana Andrea Meza vence a 69ª edição do concurso Miss Universo

 O México conquistou sua 3ª coroa de Miss Universo na noite do último domingo com a bela Andrea Meza. Considerada uma das favoritas por missólogos de diversos países, a eleição da mexicana não agradou os fãs do concurso que acusam a emissora de TV Telemundo de "comprar" o título, já que a miss não foi considerada a melhor na pergunta final. Andrea Meza - Miss Universo 2020 Os fãs consideram que a Miss Brasil 2020, Julia Gama, foi a melhor e merecia o título. Julia Gama ficou em 2º lugar no concurso Eu ainda não revi o concurso com o olhar de missólogo, mas acredito que se há tanto descontentamento, é porque realmente o resultado não foi justo. Durante a semana a imprensa especializada mundial noticiou que a mexicana pudesse ser casada (o que é proibido pela organização do Miss Universo) e que estivesse grávida. Andrea Meza na foto promocional que causou a polêmica  Nada se comprovou, pois foi apurado a imagem que circula na internet é de uma campanha promocional de turismo de

Fernanda Bôscolo - Miss Brasil Beleza Internacional 1980

 O 2º lugar no Miss Brasil 1980 deu a oportunidade da lindíssima paulista Fernanda Bôscolo de ser a Miss Brasil Beleza Internacional 1980. Fernanda Bôscolo no MB 1980 (divulgação) O concurso foi realizado no dia 04 de novembro em Tóquio, no Japão. Apesar de  ter uma beleza impactante, a paulista não foi classificada entre as três finalistas, numa edição muito estranha, que sequer teve chamada para semifinalistas. Biografia* Apesar de nascida na capital, Fernanda mudou-se para Santos aos 6 anos de idade, e o primeiro concurso que disputou foi aos 6 anos, o Mini Miss São Paulo, no programa de TV "Almoço com as Estrelas", competindo com mais de 500 crianças. Em 1980, antes de completar 18 anos de idade, e já morando em Santos, foi eleita Rainha das Praias Brasileiras, no Ilha Porchat Clube, e ganhou o direito de representar o país no Miss Tanga Internacional, realizado em Caracas, Venezuela. Mais de quarenta garotas ambicionavam o título, que acabou ficando em suas mãos, tendo s

Elizabeth Ferreira da Silva - Miss Brasil Beleza Internacional 1988

 O histórico "Miss Brasil da Ilha Porchat" em 1988 foi vencido pela representante de São Paulo - Elizabeth Ferreira da Silva.  Realizado no município litorâneo de São Vicente, o concurso era muito badalado e recebia grande atenção da imprensa. Valorizava-se muito a beleza física da candidatas, que eram coroadas de biquíni. No concurso Miss International 1988 a brasileira não se classificou no top 15, mas ganhou o prêmio de melhor traje típico.  Elizabeth Ferreira da Silva exemplifica o tipo de beleza valorizada pelos concursos no Brasil naquela década. Fonte: Wikipédia Missmemorabilia Pwiki I am the miss