Pular para o conteúdo principal

Resenha: Miss Universo 2016

Concurso: Miss Universo 2016
Data: 29 de janeiro de 2017
Local: Mall of Asia Arena
Cidade/Pais: Manila - Filipinas
Nº de candidatas: 86
Vencedora: Iris Mittenaere - Miss França

Acabei de assistir à reprise do concurso Miss Universo 2016 pela TNT. Decidi fazer isso antes de escrever a resenha para tentar entender o que aconteceu na noite de ontem e conclui o seguinte:
Tecnicamente o concurso continua perfeito, mesmo com as mudanças nos tops a empolgação permanece como nas edições anteriores. Cenários, iluminação, trilha sonora, figurinos, atrações musicais, tudo é perfeito e disso não  se pode reclamar.
Iniciar o concurso com o cantor Florida já mostrou um outra dinâmica, mas achei as apresentações das misses muito rápidas.
O anúncio do top 13 foi até certo ponto previsível (eu acertei 8), mas estabelecer um diálogo entre o apresentador e a candidata já de início mostrou que iríamos ter um novo concurso nas próximas horas. Nesta etapa achei que a Miss Indonésia foi a única que não se deu bem e a brasileira foi sucinta, mas deu o seu recado. A classificação da canadense pra mim mostrou que a entrevista passou a ter muito peso no concurso.
O desfile de biquíni foi bom, mesmo sendo em trio, mas classificar no top 09 Canadá no lugar de Brasil, Indonésia, Panamá ou Peru é um afronta a essas lindas meninas que tanto se prepararam. O pior é que ficou nítido que a canadense engordou de propósito e ainda foi celebrada por isso pela organização com aquele entrevista nos bastidores. Foi ridículo!
O discurso "Bela e Confiante" esteve presente nas falas dos apresentadores e dos jurados, mostrando que os parâmetros haviam mudado.
No desfile em traje de noite a elegância das misses França e Tailândia se sobressaem, mas os vestidos na edição anterior estavam mais impactantes.
O anúncio do top 6 mostra que o páreo será duro e francamente me perguntei o porque da Miss Haiti estar lá no lugar da Miss EUA, que se saiu muito bem e merecia ter avançado. 
Para mim esta etapa foi a mais difícil, pois as perguntas foram complexas, mas todas se saíram muito bem.
No anúncio do top 03 fiquei surpreso com a exclusão da Miss Tailândia, porque deu uma boa resposta e é linda.
Durante a pergunta final cheguei a pensar que a Miss Haiti iria vencer, pois o discurso de sobrevivente de tragédia natural para mim era imbatível. Colômbia estava visivelmente se descontrolando emocionalmente e França se mantinha "Bela e Confiante".
O resultado final foi perfeito, pois a Miss França era um das minhas favoritas e mostrou que para ser Miss Universo a partir de agora tem que ser bela e confiante o tempo todo. Eu amei o resultado!
Sobre o apresentador Steve Harvey: ele conseguiu com suas brincadeiras fazer com que eu esquecesse o desastre da edição anterior. Acredito que ele permaneça por algumas edições como apresentador.
A Miss Universo 2015 - Pia Wurtzbach - esteve perfeita em todos os momentos e foi lindo ver a emoção dela no momento da coroação.
Sobre a nossa querida e linda Miss Brasil 2016 - Raissa Santana ficou evidente que foi prejudicada pela inclusão forçada da canadense no top 9, mas me pergunto se ela passaria do top 6, pois essa parte foi muito difícil.
O novo concurso Miss Universo mostrou que está em busca de nova identidade, mais humanizada, e que apesar das contradições, a beleza falou mais alto no resultado final. 
Ainda bem que pude perceber isso revendo o concurso hoje e acredito que muitos que estão inconformados com as mudanças devessem fazer o mesmo.
Depois do que eu vi (e revi), ficou claro para mim que se quisermos (e queremos sim!) conquistar a nossa 3ª coroa de Miss Universo, o calendário do Miss Brasil tem que ser repensado (antecipação já) e a preparação da nossa representante tem que ser focada na auto-confiança, conhecimentos gerais, inglês, mas sem deixar a beleza de lado, claro. Acredito que a defesa de uma causa social também seja muito importante.
Uma ressalva: a organização deveria ter sido mais transparente com os resultados, pois seria interessante se a pontuação de cada jurado fosso mostrada ao vivo. Acredito que também um comunicado oficial sobre a busca da nova identidade do concurso será interessante para as franquias nacionais (alô Venezuela) para as mesmas se adequarem.
Que venha o próximo, pois eu continuo amando esse concurso!


Momento lindo!

Iris Mittenaere sendo coroada  Miss Universo 2016


Comentários

  1. Olá Nelson, adorei sua resenha, assim como todas que você faz sobre concursos do Grand Slam. Fiquei bem chateada por Raissa não ter avançado no concurso, mas gostei muito do resultado. Miss França linda, classuda, espero que faça um belo reinado. Para mim, o momento mais emocionante de um concurso é a coroação da Miss e dessa vez não foi diferente, foi realmente lindo e emocionante ver Pia coroando Iris.
    Abraços.

    ResponderExcluir
  2. 💐👸 - Perguntas, analise e comentários referente ao #MissUniverse2016, sobre a vitória da #MissFrança #IrisMittenaere, o preconceito nas redes sociais a #MissCanadá, #SieraBearchell, e o desempenho da #MissBrasil #RaissaSantana. Respondi perguntas feitas pela rede social referente ao concurso Miss Universo e muito mais, confiram.

    https://www.youtube.com/watch?v=WkTQv1q4d6k

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Deixe aqui seu comentário. Obrigado!

Top 5 de acessos no mês

Nota de falecimento: Rejane Vieira da Costa (Goulart) - Miss Brasil 1972

Hoje o Mundo Miss está de luto. Infelizmente pela manhã recebi, através do grupo do Voy Miss Brasil On Board no Facebook, a notícia do falecimento da MISS BRASIL 1972 - Rejane Vieira (Goulart era seu sobrenome artístico). Confesso que relutei em acreditar que uma das minhas misses  Brasil preferidas tinha partido tão cedo (59 anos) e resolvi esperar uma confirmação oficial para então escrever um post, que veio pelo site oficial do MISS BRASIL. O motivo do falecimento foi um AVC (Acidente Vascular Cerebral) ocorrido durante o período de recuperação de uma cirurgia feita em decorrência de uma trombose. Rejane Vieira era uma unanimidade no Mundo Miss no Brasil, uma das misses mais queridas pela sua impactante beleza e simpatia com os fãs. No MISS UNIVERSO 1972 ela conquistou o 2° lugar, e não vou afirmar que foi injusto pois a australiana Kerry Wells também era uma lindíssima.  A gaúcha  atuou como atriz e participou de algumas novelas de sucesso como Ti Ti Ti (1985), Man

Ana Paula Ottani - Miss Brasil Beleza Internacional 1989

 Em 1989 o estado de São Paulo conquistou o bicampeonato no Miss Brasil Beleza Internacional com a bela Ana Paula Ottani. O concurso foi  realizado na lendária Ilha Porchat, no município de São Vicente, litoral paulista. No Miss Beleza Internacional 1989, realizado em Kanazawa - Japão, a brasileira não obteve classificação e a vencedora foi a representante da Alemanha - Iris Klein. Resultado do concurso nacional* Estado Candidata P   São Paulo Ana Paula Ottani   Acre Débora Barth   Mato Grosso Adele Martins *Wikipédia Obs: a foto foi copiada do blog Rainhas da Beleza.

Lúcia Alexandrino - Miss Brasil Beleza Internacional 1969

Em 1969, o estado de São Paulo elegeu Maria Lúcia Alexandrino dos Santos, como sua representante no Miss Brasil. Lúcia Alexandrino, como ficou conhecida, chegou como favorita ao certame nacional ao lado da catarinense Vera Fischer. Traje típico no MB Seu desfile em traje de noite foi marcante, com destaque na mídia da época. Conquistou o 2º lugar e o direito de representar o país no Miss Beleza Internacional em Tóquio - Japão. A vencedora foi a maravilhosa Vera Fischer. Desfile em traje de noite no MB A belíssima paulista tinha uma missão difícil no certame internacional, tentar o bicampeonato para o Brasil, pois no ano anterior Maria da Glória Carvalho havia vencido o concurso. Classificou-se no top 15 e a vencedora foi Valerie Susan Holmes da Grã Bretanha. Às vésperas do MBI Biografia* Filha de Conceição Alexandrino Santos, Maria Lúcia nasceu no interior do Estado de São Paulo, no município de Lins. Foi namorada do escritor Mário Prata quando encenou a novela Estúpido Cupido. Casou-

Elizabeth Ferreira da Silva - Miss Brasil Beleza Internacional 1988

 O histórico "Miss Brasil da Ilha Porchat" em 1988 foi vencido pela representante de São Paulo - Elizabeth Ferreira da Silva.  Realizado no município litorâneo de São Vicente, o concurso era muito badalado e recebia grande atenção da imprensa. Valorizava-se muito a beleza física da candidatas, que eram coroadas de biquíni. No concurso Miss International 1988 a brasileira não se classificou no top 15, mas ganhou o prêmio de melhor traje típico.  Elizabeth Ferreira da Silva exemplifica o tipo de beleza valorizada pelos concursos no Brasil naquela década. Fonte: Wikipédia Missmemorabilia Pwiki I am the miss

A Miss mais bela do ano de 1961 - Marlene Schmidt

 O ano de 1961 é um dos mais fortes em relação a beleza das vencedoras do Grand-Slam, mas a beleza atemporal da representante da Alemanha no Miss Universo a faz a melhor entre as três. O único título do país no Miss Universo foi conquistado em 15 de julho no Miami Beach Auditorium na popular Miami - Flórida - EUA. Marlene Schmidt - Miss Universo 1961 Biografia*: Schmidt, uma refugiada na Alemanha Ocidental depois de fugir da nativa Alemanha Oriental, loira, de olhos negros, 1, 73 m e 24 anos, era uma engenheira elétrica que trabalhava numa fábrica de rádios por US$54 dólares semanais.  Entrou no concurso estadual de beleza de Baden-Württemberg motivada pelo carro oferecido como prêmio máximo, venceu e além do carro conquistou o direito de representar a região no Miss Alemanha, realizado em Baden-Baden. Marlene venceu o concurso nacional, onde foi considerada uma "figura de Botticelli", e foi para os Estados Unidos representar o país no Miss Universo. Competindo com outras 47