Pular para o conteúdo principal

Jéssica Vilela - Miss São Paulo 2015 - em conversa com o site do Miss Brasil

A Miss São Paulo 2015 - Jéssica Vilela - conversou sobre vida pessoal e preparação com o site do Miss Brasil.

Divertido. Assim foi o pedido de noivado recebido por Jéssica Vilela, Miss São Paulo 2015, um mês antes de começar a competição pelo título de Miss Brasil. Ela namorava há três anos e meio com Vítor Franceschini, Mister São Paulo 2011 e atualmente advogado. 

"Foi engraçado. Ele queria que viajássemos juntos para Campos do Jordão e eu não queria ir. Como vou para lá de dieta?", diz. Ele acabou levando a beldade para jantar no melhor hotel de Ribeirão Preto, onde ela mora. "Mas perdeu a coragem e só conseguiu me pedir em noivado quando estávamos sozinhos".

Será que o pedido veio por ciúmes da coroa que Jéssica mais almeja no momento? "Ciúmes nós sempre tivemos um do outro", conta. No entanto, ganhar o título de Miss São Paulo foi um baque para o noivo, segundo ela. "Ele não esperava que eu fosse tão longe. Mas é só ele ter paciência que a gente vai longe", acredita. O foco agora é o Miss Brasil.


A miss faz questão de tranquilizar o amado. "Sempre tive certeza de que ele seria o último homem da minha vida". Pelas regras do Miss Brasil, Universo e concursos estaduais, a eleita só pode se casar após o final do reinado. Os dois sonham oficializar a união na praia, ao ar livre, morar numa casa de "madeira, tijolo e vidro" e passar a lua de mel na Itália. "Vou comer até morrer, adoro massa". 

Jéssica está há mais de um ano sem chegar perto de macarrão, pizza e outras delícias. A solução é sempre escolher restaurantes japoneses em ocasiões especiais e se acabar com peixe e shimeji.

Ela espera que o vestido seja confeccionado por Alexandre Dutra, que assina todos os trajes de gala do Miss São Paulo e do Miss Brasil. "O vestido que estava usando quando ganhei o estadual é maravilhoso", derrete-se. E, caso conquiste a coroa nacional, ela promete levar para o Miss Universo o vestido branco que usou no Miss Ribeirão Preto, que deixou a plateia embasbacada e, de acordo com ela, é motivo de comentários até hoje.


Registro da troca de alianças e Jéssica em capa de revista de noivas

Comentários

Top 5 de acessos no mês

Nota de falecimento: Rejane Vieira da Costa (Goulart) - Miss Brasil 1972

Hoje o Mundo Miss está de luto. Infelizmente pela manhã recebi, através do grupo do Voy Miss Brasil On Board no Facebook, a notícia do falecimento da MISS BRASIL 1972 - Rejane Vieira (Goulart era seu sobrenome artístico). Confesso que relutei em acreditar que uma das minhas misses  Brasil preferidas tinha partido tão cedo (59 anos) e resolvi esperar uma confirmação oficial para então escrever um post, que veio pelo site oficial do MISS BRASIL. O motivo do falecimento foi um AVC (Acidente Vascular Cerebral) ocorrido durante o período de recuperação de uma cirurgia feita em decorrência de uma trombose. Rejane Vieira era uma unanimidade no Mundo Miss no Brasil, uma das misses mais queridas pela sua impactante beleza e simpatia com os fãs. No MISS UNIVERSO 1972 ela conquistou o 2° lugar, e não vou afirmar que foi injusto pois a australiana Kerry Wells também era uma lindíssima.  A gaúcha  atuou como atriz e participou de algumas novelas de sucesso como Ti Ti Ti (1985), Man

Elizabeth Ferreira da Silva - Miss Brasil Beleza Internacional 1988

 O histórico "Miss Brasil da Ilha Porchat" em 1988 foi vencido pela representante de São Paulo - Elizabeth Ferreira da Silva.  Realizado no município litorâneo de São Vicente, o concurso era muito badalado e recebia grande atenção da imprensa. Valorizava-se muito a beleza física da candidatas, que eram coroadas de biquíni. No concurso Miss International 1988 a brasileira não se classificou no top 15, mas ganhou o prêmio de melhor traje típico.  Elizabeth Ferreira da Silva exemplifica o tipo de beleza valorizada pelos concursos no Brasil naquela década. Fonte: Wikipédia Missmemorabilia Pwiki I am the miss

Lúcia Alexandrino - Miss Brasil Beleza Internacional 1969

Em 1969, o estado de São Paulo elegeu Maria Lúcia Alexandrino dos Santos, como sua representante no Miss Brasil. Lúcia Alexandrino, como ficou conhecida, chegou como favorita ao certame nacional ao lado da catarinense Vera Fischer. Traje típico no MB Seu desfile em traje de noite foi marcante, com destaque na mídia da época. Conquistou o 2º lugar e o direito de representar o país no Miss Beleza Internacional em Tóquio - Japão. A vencedora foi a maravilhosa Vera Fischer. Desfile em traje de noite no MB A belíssima paulista tinha uma missão difícil no certame internacional, tentar o bicampeonato para o Brasil, pois no ano anterior Maria da Glória Carvalho havia vencido o concurso. Classificou-se no top 15 e a vencedora foi Valerie Susan Holmes da Grã Bretanha. Às vésperas do MBI Biografia* Filha de Conceição Alexandrino Santos, Maria Lúcia nasceu no interior do Estado de São Paulo, no município de Lins. Foi namorada do escritor Mário Prata quando encenou a novela Estúpido Cupido. Casou-

Ana Paula Ottani - Miss Brasil Beleza Internacional 1989

 Em 1989 o estado de São Paulo conquistou o bicampeonato no Miss Brasil Beleza Internacional com a bela Ana Paula Ottani. O concurso foi  realizado na lendária Ilha Porchat, no município de São Vicente, litoral paulista. No Miss Beleza Internacional 1989, realizado em Kanazawa - Japão, a brasileira não obteve classificação e a vencedora foi a representante da Alemanha - Iris Klein. Resultado do concurso nacional* Estado Candidata P   São Paulo Ana Paula Ottani   Acre Débora Barth   Mato Grosso Adele Martins *Wikipédia Obs: a foto foi copiada do blog Rainhas da Beleza.

A Miss mais bela do ano de 1961 - Marlene Schmidt

 O ano de 1961 é um dos mais fortes em relação a beleza das vencedoras do Grand-Slam, mas a beleza atemporal da representante da Alemanha no Miss Universo a faz a melhor entre as três. O único título do país no Miss Universo foi conquistado em 15 de julho no Miami Beach Auditorium na popular Miami - Flórida - EUA. Marlene Schmidt - Miss Universo 1961 Biografia*: Schmidt, uma refugiada na Alemanha Ocidental depois de fugir da nativa Alemanha Oriental, loira, de olhos negros, 1, 73 m e 24 anos, era uma engenheira elétrica que trabalhava numa fábrica de rádios por US$54 dólares semanais.  Entrou no concurso estadual de beleza de Baden-Württemberg motivada pelo carro oferecido como prêmio máximo, venceu e além do carro conquistou o direito de representar a região no Miss Alemanha, realizado em Baden-Baden. Marlene venceu o concurso nacional, onde foi considerada uma "figura de Botticelli", e foi para os Estados Unidos representar o país no Miss Universo. Competindo com outras 47