Pular para o conteúdo principal

Colômbia vence o Miss Universo 2014/2015

E a favorita de muitos venceu.
A colombiana Paulina Vega conquistou o 2º título de Miss Universo para seu país. O 1º foi em 1958.
Com uma segurança pouca vezes vista em uma miss, mas que em alguns momentos refletia uma certa arrogância,  a colombiana demonstrava desde o início do concurso que acreditava na vitória. Foi impecável no show preliminar e tecnicamente perfeita na noite final, não se abalando com a preferência da platéia pela exótica Miss Jamaica - Kaci Fennell.
O concurso, como já sinalizava, não foi dos melhores, mas o resultado foi justo.
A Miss Brasil 2014 - Melissa Gurgel - foi classificada entre as 15 semifinalistas, mas merecia ter avançado ao top 10, pois foi bem melhor no desfile de traje de banho que a misses Filipinas e Venezuela e que avançaram para a etapa de traje de noite.
Vou pontuar em positivos e negativos os fatos ocorridos ontem em Doral - Miami.

Positivos:

1. Classificação da brasileira no top 15.
2. A vitória da colombiana, que é uma miss linda.
3. A torcida da platéia pela jamaicana, algo que eu não esperava, pois nas preliminares era nítida a torcida pela colombiana e pela venezuelana.
4. Os filipinos que, como sempre, sabem se divertir e torcer pela sua miss, mesmo quando ela não é muito bela.
5. O desfile em traje de noite, que trouxe um conjunto belíssimo de vestidos.
6. As imagens de alguns concursos anteriores e depoimentos de algumas misses.
7. A impressionante beleza de Jennifer Hawkins - Miss Universo 2004 e Natalie Glebova - Miss Universo 2005. Ambas se estivessem concorrendo nesta edição conquistariam o título novamente.

Negativos:

1. O excesso de intervalos.
2. A chamada em duas etapas dos tops, Só deixa os fãs mais ansiosos desnecessariamente.
3. A classificação de Miss Venezuela, visivelmente fora de forma, entre as semifinalistas.
4. Os números musicais em excesso e nada empolgantes,
5. As duas etapas de perguntas finais. Uma era o suficiente.
6. O juri, formado em sua maioria por pessoas desconectadas ao Mundo Miss. Algo que infelizmente também acontece no Brasil.
7. A plateia nativa (e nada sofisticada) de Doral.
8. A decadência geral do concurso.
9. A não inclusão de negras entre as semifinalistas.

Resultado final:


1º.  Colômbia  Paulina Vega Dieppa

2º.  Estados Unidos  Nia Sanchez 
3º.  Ucrânia  Diana Harkusha
4º.  Holanda  Yasmin Verheijen
5º.  Jamaica  Kaci Fennell


Paulina Vega - MU 2014/2015





Comentários

  1. Acho que mais uma vez o conceito de beleza mundial falhou. ..pra mim a miss universo seria a jamaicana

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Deixe aqui seu comentário. Obrigado!

Top 5 de acessos no mês

Nota de falecimento: Rejane Vieira da Costa (Goulart) - Miss Brasil 1972

Hoje o Mundo Miss está de luto. Infelizmente pela manhã recebi, através do grupo do Voy Miss Brasil On Board no Facebook, a notícia do falecimento da MISS BRASIL 1972 - Rejane Vieira (Goulart era seu sobrenome artístico). Confesso que relutei em acreditar que uma das minhas misses  Brasil preferidas tinha partido tão cedo (59 anos) e resolvi esperar uma confirmação oficial para então escrever um post, que veio pelo site oficial do MISS BRASIL. O motivo do falecimento foi um AVC (Acidente Vascular Cerebral) ocorrido durante o período de recuperação de uma cirurgia feita em decorrência de uma trombose. Rejane Vieira era uma unanimidade no Mundo Miss no Brasil, uma das misses mais queridas pela sua impactante beleza e simpatia com os fãs. No MISS UNIVERSO 1972 ela conquistou o 2° lugar, e não vou afirmar que foi injusto pois a australiana Kerry Wells também era uma lindíssima.  A gaúcha  atuou como atriz e participou de algumas novelas de sucesso como Ti Ti Ti (1985), Man

Ana Paula Ottani - Miss Brasil Beleza Internacional 1989

 Em 1989 o estado de São Paulo conquistou o bicampeonato no Miss Brasil Beleza Internacional com a bela Ana Paula Ottani. O concurso foi  realizado na lendária Ilha Porchat, no município de São Vicente, litoral paulista. No Miss Beleza Internacional 1989, realizado em Kanazawa - Japão, a brasileira não obteve classificação e a vencedora foi a representante da Alemanha - Iris Klein. Resultado do concurso nacional* Estado Candidata P   São Paulo Ana Paula Ottani   Acre Débora Barth   Mato Grosso Adele Martins *Wikipédia Obs: a foto foi copiada do blog Rainhas da Beleza.

Lúcia Alexandrino - Miss Brasil Beleza Internacional 1969

Em 1969, o estado de São Paulo elegeu Maria Lúcia Alexandrino dos Santos, como sua representante no Miss Brasil. Lúcia Alexandrino, como ficou conhecida, chegou como favorita ao certame nacional ao lado da catarinense Vera Fischer. Traje típico no MB Seu desfile em traje de noite foi marcante, com destaque na mídia da época. Conquistou o 2º lugar e o direito de representar o país no Miss Beleza Internacional em Tóquio - Japão. A vencedora foi a maravilhosa Vera Fischer. Desfile em traje de noite no MB A belíssima paulista tinha uma missão difícil no certame internacional, tentar o bicampeonato para o Brasil, pois no ano anterior Maria da Glória Carvalho havia vencido o concurso. Classificou-se no top 15 e a vencedora foi Valerie Susan Holmes da Grã Bretanha. Às vésperas do MBI Biografia* Filha de Conceição Alexandrino Santos, Maria Lúcia nasceu no interior do Estado de São Paulo, no município de Lins. Foi namorada do escritor Mário Prata quando encenou a novela Estúpido Cupido. Casou-

Elizabeth Ferreira da Silva - Miss Brasil Beleza Internacional 1988

 O histórico "Miss Brasil da Ilha Porchat" em 1988 foi vencido pela representante de São Paulo - Elizabeth Ferreira da Silva.  Realizado no município litorâneo de São Vicente, o concurso era muito badalado e recebia grande atenção da imprensa. Valorizava-se muito a beleza física da candidatas, que eram coroadas de biquíni. No concurso Miss International 1988 a brasileira não se classificou no top 15, mas ganhou o prêmio de melhor traje típico.  Elizabeth Ferreira da Silva exemplifica o tipo de beleza valorizada pelos concursos no Brasil naquela década. Fonte: Wikipédia Missmemorabilia Pwiki I am the miss

A Miss mais bela do ano de 1961 - Marlene Schmidt

 O ano de 1961 é um dos mais fortes em relação a beleza das vencedoras do Grand-Slam, mas a beleza atemporal da representante da Alemanha no Miss Universo a faz a melhor entre as três. O único título do país no Miss Universo foi conquistado em 15 de julho no Miami Beach Auditorium na popular Miami - Flórida - EUA. Marlene Schmidt - Miss Universo 1961 Biografia*: Schmidt, uma refugiada na Alemanha Ocidental depois de fugir da nativa Alemanha Oriental, loira, de olhos negros, 1, 73 m e 24 anos, era uma engenheira elétrica que trabalhava numa fábrica de rádios por US$54 dólares semanais.  Entrou no concurso estadual de beleza de Baden-Württemberg motivada pelo carro oferecido como prêmio máximo, venceu e além do carro conquistou o direito de representar a região no Miss Alemanha, realizado em Baden-Baden. Marlene venceu o concurso nacional, onde foi considerada uma "figura de Botticelli", e foi para os Estados Unidos representar o país no Miss Universo. Competindo com outras 47