Pular para o conteúdo principal

Final do Miss Universo 2011: primeiro olhar

O título do meu post pode parecer estranho, mas tem uma justificativa: ainda quero assistir a transmissão feita pelo sinal internacional (reprise TNT), pois optei pela Band e acredito que foi um programa um pouco diferente.
As constantes intervenções de Adriane Galisteu, apesar de boas, deixou a transmissão as vezes confusa e acredito que algumas pequenas partes não foram exibidas.
A começar pelos cenários, achei todos muito bonitos, principalmente o que trazia a ponte estaiada, cartão postal da capital paulista.
As trilhas sonoras foram bem escolhidas, mas senti falta no "the last look" e no anúncio final da tradicional trilha exibida nas edições anteriores, pois dá uma emoção única.
As atrações musicais Claúdia Leite e Bebel Gilberto foram gratas surpresas, assim como os dançarinos com coreografias contagiantes.
A escolha do top 16 foi um dos melhores dos últimos anos, sem surpresas desagradáveis e conforme a competição se desenvolvia era nítido que o concurso desejava uma miss com um perfil diferenciado, pois as "potências" Venezuela e Porto Rico foram eliminadas do top 10.
O figurino inicial das misses estava bonito e funcionou bem com o cenário, mas em relação aos anos anteriores achei que estavam muito simples, mas não comprometeram.
Não gostei da identificação inicial das misses ao vivo, prefiro a pré-gravação com trajes típicos como nos últimos anos, mas funcionou com a participação das torcidas.
Senti falta de uma homenagem mais completa às 60 edições do concurso e também da presença das Misses Universo brasileiras, Ieda Maria Vargas (1963) e Martha Vasconcellos (1968).
Em relação a Miss Brasil, Priscila Machado, torci muito por ela e sua 3a. colocação foi muito merecida, pois estava lindíssima e mostrou que sua preparação e vontade fariam a diferença na final.
Gostei muito da escolha da Miss Angola, Leila Lopes, como Miss Universo 2011, pois ela foge do padrão "latina over"  tão valorizado na última década no concurso, que chegou a ser "incorporado" pelas vencedoras de 2005 (Canadá) e 2007 (Japão), e deve entrar para a história como uma das mais meigas e elegantes já eleitas.
Quero muito assistir a reprise que normalmente o canal TNT transmite durante a semana para ter um olhar mais completo, mas gostei bastante do que vi e acho que a edição de 2011 foi bem melhor que as de 2009 e 2010.

O belíssimo top 05 do Miss Universo 2011

 


Comentários

Top 5 de acessos no mês

Nota de falecimento: Rejane Vieira da Costa (Goulart) - Miss Brasil 1972

Hoje o Mundo Miss está de luto. Infelizmente pela manhã recebi, através do grupo do Voy Miss Brasil On Board no Facebook, a notícia do falecimento da MISS BRASIL 1972 - Rejane Vieira (Goulart era seu sobrenome artístico). Confesso que relutei em acreditar que uma das minhas misses  Brasil preferidas tinha partido tão cedo (59 anos) e resolvi esperar uma confirmação oficial para então escrever um post, que veio pelo site oficial do MISS BRASIL. O motivo do falecimento foi um AVC (Acidente Vascular Cerebral) ocorrido durante o período de recuperação de uma cirurgia feita em decorrência de uma trombose. Rejane Vieira era uma unanimidade no Mundo Miss no Brasil, uma das misses mais queridas pela sua impactante beleza e simpatia com os fãs. No MISS UNIVERSO 1972 ela conquistou o 2° lugar, e não vou afirmar que foi injusto pois a australiana Kerry Wells também era uma lindíssima.  A gaúcha  atuou como atriz e participou de algumas novelas de sucesso como Ti Ti Ti (1985), Man

Kátia Nascimento Guimarães - Miss Brasil Beleza Internacional 1985

Kátia Nascimento Guimarães foi a sexta paulista a conquistar o título de Miss Brasil Beleza Internacional em 1985. Ela foi a primeira da "era ilha Porchart" concurso popular na época realizado na ilha homônima da cidade de São Vicente, litoral paulista. Kátia Nascimento Guimarães (ao centro) - MBI 1985 No concurso Miss International 1985, a linda paulista foi top 15. 

Fernanda Bôscolo - Miss Brasil Beleza Internacional 1980

 O 2º lugar no Miss Brasil 1980 deu a oportunidade da lindíssima paulista Fernanda Bôscolo de ser a Miss Brasil Beleza Internacional 1980. Fernanda Bôscolo no MB 1980 (divulgação) O concurso foi realizado no dia 04 de novembro em Tóquio, no Japão. Apesar de  ter uma beleza impactante, a paulista não foi classificada entre as três finalistas, numa edição muito estranha, que sequer teve chamada para semifinalistas. Biografia* Apesar de nascida na capital, Fernanda mudou-se para Santos aos 6 anos de idade, e o primeiro concurso que disputou foi aos 6 anos, o Mini Miss São Paulo, no programa de TV "Almoço com as Estrelas", competindo com mais de 500 crianças. Em 1980, antes de completar 18 anos de idade, e já morando em Santos, foi eleita Rainha das Praias Brasileiras, no Ilha Porchat Clube, e ganhou o direito de representar o país no Miss Tanga Internacional, realizado em Caracas, Venezuela. Mais de quarenta garotas ambicionavam o título, que acabou ficando em suas mãos, tendo s

Júlia Gama é a Miss Brasil 2020

O suspense acabou! Depois de semanas de especulações, o Mundo Miss brasileiro conheceu há pouco, numa transmissão pelo canal da organização U Miss Brasil no Youtube, a representante do país na próxima edição do Miss Universo. A gaúcha Júlia Gama teve seu nome ventilado há algumas semanas como possível indicada, mas por ser a Miss Brasil Mundo 2014, muito descartaram essa possibilidade. Ela se torna ao lado de Adriana Alves de Oliveira, as únicas brasileiras a representarem o Brasil no Miss Universo e no Miss Mundo. Júlia Gama - Miss Brasil 2020 Eu fiquei muito feliz com a indicação, pois ela é linda, inteligente e fala fluentemente espanhol, inglês e mandarim. Sua oratória é perfeita e acredito que isso contará muito ao seu favor no Miss Universo. Parabéns para Júlia Gama pela conquista e a organização pela indicação.  

Programas do Miss Universo - década de 1980

 Os programas do concurso Miss Universo na década de 1980 destacam as paisagens e elementos culturais da cidade/país anfitrião. 1980 1981 1982 As capas, diferentemente da década anterior, mostram monumentos históricos, edifícios, paisagens naturais e aspectos culturais.  1983 1984 1985 São capas bonitas, mas pecam por não trazer a Miss Universo reinante (somente nas edições de 1985 e 1986 elas aparecem), algo que se manteve dos anos 1970. 1986 1987 A minha preferida é a de 1987, que traz crianças de Cingapura (país anfitrião). Ela seria perfeita se também trouxesse a Miss Universo 1986 - Bárbara Palácios. 1988 1989 Disponível em:  http://www.pageantopolis.com/1980-1989-4.html